Consulta de 1 ano e 8 meses




Alimentação

Incentivar o consumo de frutas e verduras, lembrando que aquelas de folhas verdes são ricas em ferro, cálcio e vitaminas.
Evitar a utilização de alimentos artificiais e corantes, assim como os “salgadinhos “, refrigerantes , uma vez que os hábitos alimentares adquiridos nessa idade mantém-se até a idade adulta.

Deve-se ingerir 700ml de leite , preferencialmente fortificado com ferro e vitamina A, assim como outros derivados (iogurte natural e queijos) para ter um adequado aporte de cálcio.
Cuidado com as substituições das refeições principais por leite. O consumo de 700ml de leite de vaca integral nessa faixa etária  é importante fator de risco para o desenvolvimento de anemia carencial ferropriva.

A partir do primeiro ano, os lactentes devem ser estimulados a tomar iniciativa na seleção dos alimentos e no modo de comer. Os pais devem oferecer alimentos variados, saudáveis e em porções adequadas e permitir que a criança escolha o que e quanto quer comer. As refeições devem ser realizadas à mesa ou em cadeira própria para a criança, juntamente com a família, em ambiente calmo e agradável, sem televisão ligada ou outro tipo de distração.

Os alimentos sólidos podem ser segurados com a mão ou oferecidos no prato, com colher pequena, estreita e rasa e os líquidos em copo ou xícara, de preferência de plástico e inquebrável. Nesta fase, inicia-se o treinamento para o uso de utensílios, que envolve estímulo à coordenação e à destreza motora, funcionando como importante incentivo ao desenvolvimento. A queixa de recusa alimentar é muito freqüente no segundo ano de vida, quando a velocidade de crescimento diminui bastante em relação ao primeiro ano e, conseqüentemente, diminuem também as necessidades nutricionais e o apetite. As crianças devem ser estimuladas a comer vários alimentos, com diferentes gostos, cores, consistência, temperaturas e texturas.

A dependência de um único alimento, como o leite, ou o consumo de grandes volumes de outros líquidos, como o suco, pode levar a um desequilíbrio nutricional.  O sal deve ser usado com moderação. Os tipos de alimentos escolhidos devem ser adequados à capacidade de mastigar e engolir da criança. O tamanho das porções de alimento deve ser ajustado ao grau de aceitação da criança.

A amamentação deve continuar.

As refeições de sal devem se semelhantes as do adulto.

Vacinas

Não há vacina, se seu calendário estiver em dia. Dependendo da época do ano pode ser realizada a vacina da gripe (influenzae + H1N1).


O que o meu bebê já faz?


Consegue retirar camiseta, calção, casaco e sapato.
Chuta uma bola pra frente sem se apoiar.
Anda para trás. (Ex: quando abre uma porta)
Sobe uma escada apoiando-se nas laterais.
Escolhe os alimentos que quer e leva-os a boca com as mãos.
Interessa-se por livros infantis com figuras.
Rabisca aleatoriamente com giz de cera.
Arremessa bola com a mão.
Aponta para partes do corpo.
Retira objetos guardados em caixas fechadas ou gavetas.
Come com colher e garfo, apesar de derramar muito. Deixe ele se sujar, isso é importante para a aquisição de habilidade motora. Se você sempre fizer pelo seu filho ele não terá oportunidade de aprender e a longo prazo ficar independente.


Sono

15h por dia. A noite 10h e mais ou menos 2 sonecas durante o dia. A criança já pode dormir no seu quarto. Já brigam contra o sono, para não dormir, por isso crie uma rotina.

O que fazer para o meu filho ter um bom desenvolvimento físico, emocional e intelectual?

Deixar que ande descalço na areia ou na grama.
Brincar de cavalinho.
Estimular a criança a empurrar ou puxar um carrinho pela cordinha.
Jogar bolas com as mãos na posição de pé.
Dar caixas para ela empilhar.
Incentivar a criança a se despir sozinha e mostrar e perguntar sobre as partes do corpo.
Estimular a criança a guardar e retirar brinquedos das caixas.
Brincar com quebra-cabeças de peças grandes e em pequeno número.
Dar objetos de várias qualidades e pedir para que junte os iguais.
Brincar de bater palmas e pés e pedir para ela imitar.
Perguntar: “qual é seu nome?”
Mostrar um álbum de fotos e pedir que identifique as pessoas.
Uma forma de estimular a fala é não atender prontamente aos pedidos da criança, deixando-a primeiro falar algumas palavras para expressar o que deseja.
Na hora da alimentação deixe-a pegar pequenos alimentos como uva, pedaços de banana, maçã, etc. Permita que ela tente comer sozinha com colher e tomar sucos e leite em caneca plástica, segurando-a com as próprias mãos. Mesmo que vire uma lambuzeira, não se importe, deixe-a se sujar. Assim ela vai treinando se alimentar sozinha e poderá se interessar mais pelos alimentos, o que deixará a hora da refeição mais agradável e divertida.


Como ler para o Bebê? 



Nessa idade ela já consegue escolher o livro favorito  e  entregar  aos pais.
Ela aponta as figuras e copia os gestos  e expressões que o adulto esta lendo para elas.

Assim os pais podem:
                                                                                                                              
1- Usar diferente vozes para representar os personagens.
                                                        
2- Fazer perguntas para que a criança responda apontando, por exemplo: onde esta o gato? quem faz miai-miau?
                                                                                                               
3- Incentive a criança a imitar os sons dos animais. Exemplo: como a vaca faz? Mu.
             
4- Sorrir e responder quando ela falar ou apontar algo.                                                                
5- Leia a história várias vezes se ela quiser.                                                                                
6- Deixar a criança virar as páginas dos livros.
                                                                          
7- Acrescentar mais palavras  quando a criança apontar para uma imagem. Exemplo: a menina é bonita e tem cabelo marrom.                                                                                                          
8- Fazer outras perguntas  sobre as figuras que ela apontar. Exemplo: Cadê o nariz da menina? , E o nariz da mamãe? E o seu nariz?                                                                                          
9- Nomear e demonstrar ações e emoções: A menina esta rindo. E então rir para o bebê.
   
10- Levar sempre um livro quando sair com o bebê e ler para acalmá-lo e distraí-lo.




Alertas de Segurança para a criança de 1 ano e 8 meses

Atropelamentos, quedas de lugares altos e piscina, impacto.
Picadas e mordeduras.
Quedas (cama, trocador, colo, carrinho, poltronas e escadas)
Cuidado com o bebê na cozinha! Área de risco! Colocar grade de proteção. Não deixe seu bebê na cozinha!
Queimaduras (banho, cigarro, líquidos quentes)
Sufocação (enrolar cordão ou prendedor de chupeta em volta do pescoço, pequenos brinquedos)
Intoxicações (medicamentos em doses erradas, substâncias tóxicas- naftalina)
Não utilize talco, pois há risco de sufocação.
Como o bebê leva a boca qualquer objeto que consiga segurar, cuidado com objetos muito pequenos, sujos e cortantes.
Mobílias e equipamentos para o bebê devem conter certificação pelo Inmetro e ABNT.
Transporte adequado no carro, usar assento especial para crianças e sempre no banco traseiro.
Estabelecer limites, usar as bocas de trás do fogão, cabos voltados para dentro.
O ideal é não ter a criança na cozinha!
Risco com afogamento e quedas de piscinas.

Desenvolvimento e Segurança

Necessitam de supervisão contínua, deixar fora do alcance: objetos pontiagudos, cortantes, que destacam partes, medicamentos, produtos de uso domiciliar.
Nessa faixa etária existe risco de atropelamento, aspiração (corpo estranho), queimaduras, choque elétrico, afogamentos, quedas, contusões e intoxicações. Para prevenir deve-se verificar a temperatura do banho e mamadeira, não usar talco, ajustar os lençóis sempre sob o colchão do berço, não medicar sem receita. Usar protetor de tomadas, cuidados com fios soltos. Usar protetores de quina de móveis. Afaste cordões, fios e sacos plásticos. Proteja escadas e janelas. Mantenha fechada a porta do banheiro e cozinha.
Não deixe produtos de limpeza e remédios ao alcance das crianças; tranque-os em armários ou coloque-os em locais de difícil acesso.
Usar bebê conforto ou conversível de costas para o movimento do veículo e preso pelo cinto de segurança.
Não deixe ao alcance das crianças objetos cortantes, pequenos e pontiagudos.
Use brinquedos fortes e inquebráveis, evite os brinquedos com partes pequenas, pelo risco de sufocação.
Evite cobertores pesados e travesseiros fofos pelo risco de asfixia.
Não deixe ao alcance fios, cordões e sacos plásticos.
Proteja escadas pelo risco de quedas.
Proteja arestas pontiagudas dos móveis pelo risco de trauma.
Coloque proteção nas janelas e escadas.
Até os 2 anos de vida, os brinquedos não podem conter peças pequenas, cortantes ou perfurantes. Se desmontáveis, essas características são válidas para todos as peças.





Bibliografia: Sociedade Brasileira de Pediatria