Orientações na Consulta Pré-Natal para os Pais Grávidos

Preparação para a chegada do bebê

Ao contrário do que se pensava antes, o recém-nascido já nasce com experiência de sua vida intra-útero. A audição acontece a partir do quinto mês de gestação, sendo o feto capaz de escutar os ruídos provenientes do funcionamento do organismo materno, e pode se acalmar ao ouvir a reprodução ritmada dos batimentos cardíacos após o nascimento. A audição dos sons externos chega de forma muito atenuada, havendo maior nitidez para os sons graves. O paladar encontra-se também desenvolvido, parecendo haver uma preferência para o gosto doce. No segundo trimestre de gestação os sabores que a mãe come podem ser detectados pelo feto. Assim mamãe, desde de o intra-útero você já esta formando o paladar do seu filho. Cuidado com o que você come...O feto consegue perceber o contato através da parede abdominal, principalmente a partir do sétimo mês de vida intra-uterina.

O que a mãe pode e deve comer na gestação para auxiliar no bebê?

Se por um lado não há indicações para retirar qualquer alimento da dieta da mãe, recentes estudos vêm reiterando a importância de alguns micronutrientes no papel de prevenção das alergias. Entre eles, os ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa (LC-PUFAs), especialmente do tipo ômega (ω)-3, merecem destaque. Existem diversas evidências de que o óleo de peixe consumido pela gestante reduz a sensibilização a alérgenos comuns, proteção possivelmente persistente até a adolescência. Mais evidências são necessárias antes de se preconizar a suplementação medicamentosa do ω-3 na forma de suplementos extra alimentares, mas a ingestão de peixes de água profunda (salmão, sardinha, arenque) pode e deve ser estimulada desde a gestação.

Antioxidantes e outros micronutrientes (vitaminas C, E, betacaroteno, zinco e selênio) também são referidos como possíveis fatores de prevenção. A ingestão de alimentos ricos nestes micronutrientes deve ser reforçada, antes de sua suplementação exógena.

A mãe dvd evitar alimentos que contenham gordura trans, xarope de milho, álcool. Evitar comer por 2 e não ingerir alimentos crus e queijos azuis ( roqueford ) no primeiro trimestre da gestação.

Vacinas Recomendada para as Gestantes :

- DTpa entre 27 e 36 semanas de gestação - essa vacina combate contra a difteria, tétano e coqueluche. Realizada nesse período ela confere maior número de anticorpos para o bebê para a prevenção contra a coqueluche. A DTpa é recomendada a cada gestação. Se a gestante não tem esquema para tétano previamente, deve receber duas doses de dT e uma dTpa.
Influenzae - 
- Hepatite B - em caso de não ter recebido antes.

Se risco impostante  : 
   - Hepatite A
   - Meningo ACYW135
   - Polio inativada
   - Pneumo 23 

São contra-indicadas as vacinas de microorganismos vivos : febre amarela, tríplice viral (onde inclui-se rubéola, caxumba e sarampo) e varicela. O tempo recomendado para vacinas de vírus vivos antes de engravidar é em média 1 mês.

Vacinas recomendadas para o Pai e contactantes adultos (avós, babás, etc..):

- DTpa - evita a transmissão de coqueluche ao bebê - Essa é a mais importante e deve ser feita por todos.
- Varicela - caso não tenha histórico prévio
- Meningo ACYW 135 
- Infuenzae 
- HPV
-Tríplice Viral - Sarampo, caxumba e rubéola
- Hepatite A
- Hepatite B 
- Febra Amarela

Cuidados com os seios para a amamentação

A partir do sexto mês de gestação lavá-los, especialmente os mamilos, apenas com água. Não usar sabonete ou sabão de espécie alguma. Expor os mamilos ao sol 5-10 min antes das 10 ou após 16h.

Farmacinha do bebê

Fraldas RN, cotonete para a limpeza das dobras das orelinha, pacote de algodão em bolas, álcool a 70% para a higiene do coto umbilical, garrafa térmica para água morna para a limpeza do períneo, tesourinha sem ponta para cortar as unhas, pente e escova de cabelo com cerdas macias, termômetro, termômetro para a banheira, pomada para prevenção de assaduras a base de óxido de zinco, vitamina  D, soro fisiológico 0,9% para higiene nasal, aspirador nasal com pêra de borracha, medicamento antitérmico (Tylenol gotas), cesta para reunir todos os itens acima. todos os produtos utilizados no bebê devem ser sem Parabeno.

Enxoval

Adquirir algumas peças nos tamanhos RN e pequeno e conforme o crescimento e a estação do ano você pode ir renovando.
Prefira roupas de algodão e malha de algodão. Cuidado com muitos bordados, etiquetas e tecidos sintéticos, pois podem irritar a pele do bebê.
Escolher peças folgadas para permitir a livre movimentação da criança, além de higiênicas, confortáveis e fáceis de lavar e trocar.
Lavar as roupinhas, inclusive as de cama e banho, antes do primeiro uso e a cada troca, com sabão neutro (sabão de cocô) e separadamente das demais roupas da casa. Evitar amaciantes, pois podem irritar a pele do bebê.
Passar todas as peças com ferro quente, afim de matar bactérias e fungos que podem contaminar o bebê.
O quarto do bebê já deve estar pronto, com berço e/ou cercado com grades altas (60 cm) e separação máxima de 6 cm entre as grades. No interior do berço não coloque objetos nem tecidos de segurança. O estrado deve ser regulável quanto a altura, para ser baixada a medida que o bebê cresce e consegue sentar-se. O ideal é que os berços sejam pintados com tinta atóxica, de difícil destaque. Isso se justifica pois quando surgem os primeiros dentinhos no lactente, ele vai gostar de ficar em pé no berço e “roer” a grade. Móbiles devem ser presos numa altura em que o bebê quando sentado não consiga alcançar.
Segurança: não deixe o berço e o trocador embaixo de janela e/ou cordões de cortinas, perto de luminárias, enfeites de parede ou móveis que possam ser usados para pular e para evitar acidentes.  É recomendável grades de proteção ou telas nas janelas da casa e sacadas. Não deixar nenhum objeto solto no interior do berço , por risco de sufocação, asfixia e estrangulamento.

Mala para a maternidade

Deixar pronta de 15 a 30 dias antes da data prevista para o parto.
Assento de segurança para automóvel adequado para RN.

Licença maternidade e paternidade

Informem-se com os locais de trabalho.
Maternidade de 4-6 meses.
Paternidade de 5 dias.
Ao sinal de trabalho de parto dirijam-se a maternidade.

Na Maternidade

Sala de parto

Pediatra neonatologista e obstetra estarão presentes.
Após o recebimento do bebê pelo pediatra, ele será secado pois a perda de calor é muito intensa podendo levar ao risco de hipotermia. Será examinado para ver o funcionamento do coração, pulmão, etc. Realizado a Escala de Apgar para ver o somatório dos sinais (freqüência cardíaca, tônus muscular, esforço respiratório, irritabilidade,cor da pele).
Se parto normal será realizado a prevenção da oftalmia gonocócica: 2 gotas de nitrato de prata a 1% em cada olho.Em todas as crianças será realizado a prevenção da doença hemorrágica do recém-nascido (RN) com aplicação de vitamina K inta-muscular.
Após todos os procedimentos o bebê já pode ir ao encontro da mãe e ser estimulado a amamentar, conforme orientação da equipe médica assistente.

O que o seu bebê já faz logo após o nascimento

Observa o rosto humana a 20-30 cm de distância. Distância do seio ao rosto materno.
Segue objeto colocado a frente do seu rosto, mas apenas metade do percurso.
Sorri quando está sonolento (manifestação de bem-estar).
Resposta a ruídos altos com movimentos oculares, choro ou “susto”.
Deitado de costa faz movimentos bilaterais e sincrônicos, movimentando braços e pernas simultaneamente e na mesma intensidade.
Abre e fecha os braços como se estivesse assustado – Reflexo de Moro, em resposta a estimulação (barulho esterno ou palmas).
Colocado de bruços, mantém-se com braços e pernas flexionados, eleva momentaneamente a cabeça.

Durante a estadia da Maternidade

O pediatra irá reavaliar a criança geralmente 4 horas após o parto, conforme rotina do serviço.
Aleitamento materno em livre demanda, a hora que o RN quiser ele pode e deve ser amamentado.
O bebê deve evacuar e urinar nas primeiras 24 h de vida.
Será realizado o teste do Olhinho para ver o reflexo vermelho bilateral no fundo de olho. Caso não esteja presente será encaminhado para um oftalmologista de referência.
Vacina contra a Tuberculose (BCG) e Hepatite B.
Poderá ser realizado o  Teste do Coração e o Teste da Orelinha. Esse teste deve ser efetuado até no máximo os 30 dias de vida do bebê.
Alojamento conjunto: mãe, pai e bebê juntos. Aumenta o vínculo na família.
Aproveite o tempo na maternidade para tirar todas as dúvidas sobre o aleitamento materno, os cuidados com o bebê (banho, higiene do períneo e do coto umbilical).
Nos primeiros dias de vida ocorre a eliminação do mecônio (coco verde) após as fezes vão se tornando amareladas e sua consistência é semi-líquida com “gruminhos”.

Técnica para o aleitamento materno

A hora que o bebê quiser ele pode e deve mamar.
Sente-se num local adequado e tranqüilo! Relaxe.
Esteja numa posição confortável e que você se sinta bem.
Almofadas para amamentação podem ajudar, senão travesseiros.
Esteja com roupa e sutiã adequados para a amamentação, pois eles podem atrapalhar na pega do bebê.
Retire grande parte da roupa do bebê, deixe ele sentir sua pele e você a pele dele, isso ajuda na descida do leite e aumenta o vínculo entre mãe e filho.
Abocanhe toda sua aréola com sua mão em forma de C, comprima-a afim de que consiga colocá-la, praticamente toda dentro da boca do bebê quando ele abrir.  Traga o bebê ao seu corpo, e não o seio na boca do bebê.
Abrace-o, fique bem “agarradinha” com ele, barriga com barriga. O braço do bebê pega sua cintura.


Você ajuda com a outra mão que não o está segurando, a liberar a narina para que ele consiga respirar. Faça carinho em sua bochecha, isso estimula o reflexo da sucção. Não o deixe adormecer no seio. Converse, faça cócegas nos pés e acaricie suas costas para ele não dormir afim de que ele tenha uma mamada efetiva. Não existe tempo ideal para cada mamada e sim a satisfação do bebê, mas geralmente gira em torno de 20min.
O ideal é que o RN consiga esgotar a mama em cada mamada, ou seja, que ele consiga chegar na parte posterior da glândula mamária onde a concentração de gordura é maior.  Isso faz com ele se sinta satisfeito e ganhe peso adequadamente.
O leite inicial da glândula mamária é rico em proteína e carboidrato, também essencial para o bebê, mas o leite rico em gordura é mais calórico e isso aumenta o intervalo entre as mamadas. Nem que ele precise pegar várias vezes a mesma mama para chegar na “gordurinha” do leite.



Na ocasião da alta, os pais devem receber preenchida a via cor de rosa da declaração de nascidos vivos, para realizar o registro de nascimento.
Caderneta de Saúde – aí estará todo o histórico do bebê, desde a gestação, parto e evolução do RN na maternidade.
Alta somente depois de 48hs de vida do bebê.
Sair da maternidade com bebê conforto adequado para o transporte seguro do RN e/ou prematuro no carro.

Em casa

Ter tranqüilidade para que a sua sensibilidade materna aflore.
Vínculo dos pais com o bebê – passar presença com contato físico, visual e verbal, dando segurança e tranqüilidade para o RN, assim ele se sente seguro, amparado, querido e amado.

O bebê se comunica com os pais através do choro inicialmente. A média de choro de uma criança normal varia de mais ou menos 3 horas por dia. Isso para uma criança normal sem nenhuma patologia, geralmente nas outras 20 horas eles estão dormindo ou acordados mamando.
Não se desespere com o choro. O choro é o meio de comunicação do recém-nascido para ele solicitar alimento, carinho, conforto e segurança.
Acalente seu filho! Demonstre para ele o quanto ele foi desejado e querido.

Com as crianças é muito importante que os pais tenham:
  • paciência para agüentar o choro e as noites sem dormir.
  • persistência e firmeza na hora da educação, sem agressão.
  • tolerância com as falhas e as suas limitações.
  • segurança, calma e tranqüilidade para passar aos seus bebês...
Pois eles serão o reflexo do que vocês forem com eles!
Pais calmos – bebê calmo, exceto claro se doença!

Lembre-se sempre disso.

Cuidado para não superaquecer o bebê com roupas ou ambientes muito aquecidos pois se vc colocar roupas de mais ele pode ter febre, visto a grande labilidade térmica da criança. O recomendado é colocar uma muda de roupa a mais que a gente usa. O mesmo serve para o contrário, hipotermia (temperatura axilar < 35,5),  caso vc deixe-o muito a vontade em ambiente frio.

Troca de fraldas

Sempre da frente para trás (períneo em direção ao ânus), Trocar o bebê sempre que ele estiver sujo (xixi ou coco). Limpar com água, algodão e sabão neutro. Lenço umedecido especifico para Recem-nascido podre ser usado fora de casa.  Fazer a limpeza do coto umbilical com álcool a 70% a cada troca de fraldas.

Banho de sol

Após a alta o bebê deve pegar sol em casa num total de 2horas semanais com a face as mãos expostas ao sol isso gira em torno de 17 minutos por dia. Ou peladinho só de fralda 8 minutos por dia- 4 min de frente e 4 min de costas. Cuide com a exposição dos olhos direto ao sol, visto poder prejudicar a retina.



O banho de sol é importante para produzir vitamina D e para metabilizar o “amarelão” (icterícia) e não deixar que ele se intensifique. Não utilizar protetores de berço.

Berço Seguro 

Os berços devem seguir as normas técnicas da ABNT (NBR 15860) e Imetro (NBR 15860-1 e 15860-2).
Não utilizar protetores de berço.
Não deixar nenhum objeto solto no berço, por risco de sufocação, asfixia e estrangulamento.
O colchão deve ser de espuma (D18) e não plastificado. Plano, duro, não deformável e perfeitamente ajustado no berço.
Virar o colchão uma vez ao mês e se deformidade substituir.
Assegurar-se que a cabeça esteja descoberta o tempo todo.
Se necessário usar coberta na altura do peito para baixo e presa firmimente nas laterais do berço.
Saquinhos de dormir e pijamas inteiros são alternativas seguras.
Compartilhar o quarto sem compartilhar a cama  reduz o risco de morte súbita no bebê em ate 50%.
A criança pode ir para o seu quarto quando consegue retirar o cobertor da sua cabeça sozinha, ou seja em torno de 6 meses de vida.

Posição para dormir

Sempre de barriga para cima, visto que diminui em 10x o risco de morte súbita.


Rotina para dormir

Faça uma rotina para o sono, deite o bebê acordado no berço e faça-o dormir ali mesmo, no berço. Evite fazê-lo dormir no colo e muito menos no seu seio senão as noites durante o primeiro ano de vida serão de plantão diário.
Não tenha nenhum objeto (brinquedo, bixinhos ou protetor) junto ao berço.
Existem 2 estados do sono : sono ativo e sono tranqüilo.
Sono ativo: mesmo dormindo o RN realiza movimentos corporais. Não se preocupe é normal, não pegue o bebê, deixe-o dormir.
Sono tranqüilo: o RN está em repouso total.

O RN a termo que nasce com mais de 37 semanas de idade gestacional passa apenas 2 a 4 horas por dia acordado. Às 20 horas restantes correspondem aos estados de sono ativo ou tranqüilo. Com o passar dos dias e com o amadurecimento neurológico, vai se reduzindo o período do sono atingindo cerca de 16h por dia no final do primeiro mês.

Aleitamento materno em livre demanda

A hora que o bebê quiser ele deve mamar, não deixar ultrapassar mais de 3-4 horas sem amamentar pelo risco de hipoglicemia. Não deixar o bebê dormir no seio, fazer com que ele tenha uma mamada efetiva. Não fazer o seio de bico. Deixar o RN só de fraldas, para sentir a pele da mãe, isso reforça o vínculo e a apojadura. Bebês que são amamentados conforme sua fome tendem a mostrar-se mais calmos.
Cuidado com as fissuras e o ingurgitamento mamário.
Seio materno machucado é sinal de pega errada .

Como colher e estocar o leite materno

Fonte: Departamento Científico de Aleitamento Materno da SBP

Você pode retirar o leite dos seios de forma manual ou mecânica.

A ordenha manual é a melhor forma de tirar o leite e ela fica mais fácil com a prática, por isso deve ser aprendida junto com o cuidado com as mamas, durante a amamentação. Ela pode ser feita sempre que necessário e não necessita de equipamentos especiais.

A ordenha feita com a bomba tem alguns complicadores como a disponibilidade do equipamento sempre que necessário, o custo, e ainda o risco de lesão dos mamilos. Com o avanço da tecnologia, os equipamentos para extração de leite passaram a ser produzidos com materiais maleáveis e concepção mais moderna, facilitando seu uso e diminuindo esse risco de lesão.

Algumas razões para ordenhar o leite

• Aumentar a produção de leite ou mesmo para manter a lactação.
• Manter a pele saudável, massageando algumas gotas de leite materno nos mamilos.
• Abrandar o ingurgitamento mamário (quando o leite sai espontaneamente).
• Tornar mais flexível a região do mamilo e da aréola, para facilitar a mamada pelo bebê.
• Retirar leite para oferecer ao bebê que não pode ser amamentado.
• Armazenar leite para oferecer ao bebê quando a mãe retorna ao trabalho ou precisa se afastar por um tempo.
• Auxiliar no tratamento de mastite.
• Doar a um banco de leite.

Preparando-se para retirar o leite

• Escolha um lugar tranquilo. Ouvir música, receber massagem nas costas, ter uma foto de seu bebê, e até mesmo medicação para a dor, podem ajudá-la a relaxar.
• Tenha um recipiente limpo pronto.
• Se estiver usando uma bomba, que ela esteja limpa e montada.
• Prenda os cabelos e proteja a boca e narinas com máscara.
• Lave as mãos com água e sabão, e tenha as unhas limpas e de preferência curtas.
• Caso tenha que lavar as mamas, utilize somente água, pois o sabão resseca os mamilos.
• Adote uma posição confortável, mantenha os ombros relaxados e um pouco inclinados para frente.
• Faça massagem, com movimentos circulares, da região areolar até a base da mama.

Técnica de ordenha mamária

• Posicione o dedo polegar acima da aréola, e o indicador abaixo. Pressione a região areolar com movimento firme, aproximando os dedos e direcionando-os para o tórax, de forma intermitente (tipo “aperta-solta”), até o leite começar a fluir.
• Despreze os primeiros jatos de leite (0,5 a 1 ml).
• Mude a posição dos dedos, para esvaziar todas as partes da mama.
• Aplique as últimas gotas retiradas na região mamilo-areolar, massageando delicadamente.

Conservação e descongelamento do leite

Use preferencialmente recipientes de vidro, e eventualmente os de plástico, como polipropileno, para o armazenamento do leite ordenhado.

A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano diz que:

• O leite humano ordenhado congelado pode ser estocado por um período máximo de 15 dias a partir da data da coleta, se for mantido em temperatura máxima de -3 °C.
• O leite humano ordenhado e refrigerado para ser oferecido pela mãe ao seu bebê, pode ser estocado por um período de até 12 horas, se guardado em temperatura máxima de 5 °C.
• Depois de descongelado, o leite humano deve ser mantido sob refrigeração, em temperatura máxima de 5 °C, por até 12 horas.
• Para descongelar o leite, coloque o recipiente em banho-maria, com água potável, aquecendo um pouco, mas sem ferver. Ao desligar o fogo, a temperatura da água deve estar em torno dos 40 ºC, ou seja, deve ser possível tocar a água sem se queimar. O frasco deve então permanecer na água aquecida até descongelar completamente o leite.

Acalentar o bebê sempre que ele chorar,

pois transmite segurança, amor e conforto para a criança. Não ter medo de “mimar”! Essa é uma época que eles necessitam se sentir amados, queridos e com segurança. Isso é importante para o desenvolvimento da personalidade e do temperamento do bebê. Dê colo! Converse com seu bebê, ele já reconhece sua voz, isso o acalma! Contato pele a pele – segurança!
Ainda nos primeiros 28 dias de vida o bebê ganha confiança e tranqüiliza-se à medida que percebe que suas necessidades estão sendo atendidas regularmente, como a fome, troca de fraldas e carinho.

Banho

Deixar tudo a mão: sabonete neutro infantil, toalha, álcool a 70% para limpeza do coto, pomada para prevenção de assaduras, cotonete, fralda descartável, e as roupas que o bebê irá vestir. Temperatura da água entre 37 a 38ºC dependendo da temperatura ambiente no dia. Pode-se utilizar água fervida até a queda do coto umbilical, mas isso fica a critério da família. Testar a temperatura da água no antebraço. Colocar pouca água na banheirinha, no máximo 15 cm. O ideal é que a quantidade de água cubra até o umbigo do bebê. Iniciar lavando a face, a cabeça, depois o tronco, e o resto do corpo, deixando por último os genitais do bebê e o bumbum. Não se deve usar xampu para lavar o couro cabeludo do RN, somente água corrente morna. Após o banho iniciar secando o rosto, o cabelo e o restante. Após limpar o coto com álcool a 70%, passar o creme para prevenção de assaduras e vestir o bebê com roupas adequadas para cada estação do ano.

Sinais de alarme para levar seu recém-nascido ao pronto-atendimento

  • Febre (Temperatura axilar acima de 37,8C )
  • Parar de urinar
  • Recusa da mamada
  • Hipotermia e apatia
  • Coma: quando você não consegue acordar o bebê de maneira nenhuma
  • Tosse persistente e recusa alimentar
  • Dificuldade para respirar
  • Choro e irritabilidade excessivos

Teste do pezinho

Realizar o teste do pezinho entre 5-7 dias de vida, existem vários tipos de teste do pezinho, informem-se com o pediatra o mais adequado para o seu filho.

Alertas de Segurança para o recém-nascido

Quedas (cama, trocador, colo, carrinho e poltronas)
Queimaduras (banho, cigarro, líquidos quentes)
Sufocação (dormir de barriga para baixo, enrolar cordão ou prendedor de chupeta em volta do pescoço, pequenos brinquedos, o espaço do colchão e o berço quando o colchão é do tamanho incorreto).
Intoxicações (medicamentos em doses erradas, substâncias tóxicas- naftalina)
Não deixe cães e/ou animais domésticos perto do bebê – pode ser perigoso.
Prefira termômetro digital pois o de mercúrio quebra fácil e é tóxico.
Não utilize talco, pois há risco de sufocação e pneumonite química.
Mobílias e equipamentos para o bebê devem conter certificação pelo Inmetro e ABNT.

Primeira consulta com o pediatra

Deve ser realizada de 7-10 dias de vida





Bibliografia: Sociedade Brasileira de Pediatria