Exposição ao Sol

O sol é fonte de luz e vida, mas até que ponto ele pode ser bom para a saúde do seu filho?

A exposição ao sol ajuda na síntese de vitamina D que é necessária para que os ossos sejam saudáveis, mas são suficientes 15 minutos de sol por semana nos bebes e 15 minutos três vezes por semana nas crianças de mais de 2 anos.


As crianças estão naturalmente mais expostas à luz solar, já que brincam ao ar livre todo tempo que podem. Portanto, cabe aos adultos evitar que as crianças tomem sol demais e tenham queimaduras solares.

O câncer de pele é um tumor maligno e tem como causa a exposição solar excessiva, por isso os pais devem estar atentos. Nove em cada dez casos de câncer de pele poderiam ser evitados pela proteção contra a luz do sol.




Os fatores que aumentam a possibilidade de ter câncer de pele são:
  • Cabelos loiros ou ruivos
  • Olhos claros e pele com sardas
  • Pele clara que fica vermelha se exposta ao sol
  • Casos na família de câncer de pele
  • Exposição à luz do sol

De todos os riscos, o único que pode ser modificado e afastado é a exposição ao sol!

Existem duas maneiras de exposição solar que são perigosas:
  • Ficar muito tempo sob a luz solar em um período curto de tempo. São os torrões ou vermelhões após um dia no parque, na piscina ou na praia.
  • Crianças que passam os dias ao ar livre, sempre expostas a muita luz solar. São as crianças que durante todo o ano estão bronzeadas.

Não utilize as câmaras de bronzeamento

As adolescentes representam um grupo de alto risco. Por causa dos padrões de beleza se expõem demais à luz do sol ou utilizam práticas perigosas, como o bronzeamento artificial.

As luzes usadas nas câmeras de bronzeamento artificial podem causar queimaduras de pele e problemas nos olhos, as rugas aparecem mais cedo e o risco de câncer de pele aumenta.

É melhor uma pele saudável e com sua cor natural do que correr os riscos das queimaduras solares.

Qual é a melhor maneira de proteger seu filho do sol?

  • Bebês até os 6 meses de vida precisam de apenas 15 minutos de sol duas vezes por semana. Devem ser escolhidos horários em que o sol não esteja forte, como pela manhã (antes das 10h) ou no final da tarde (após as 16h). Nesta idade usar roupas como medidas protetoras.
  • Dos 6 meses aos 2 anos é recomendado o uso de filtros solares físicos todas as vezes que a criança estiver exposta à luz do sol. Estes filtros físicos fazem uma barreira aos raios solares que prejudicam à pele sensível dos bebês (filtro baby).
  • A partir dos dois anos de idade devem ser usados os filtros solares infantis com fator de proteção 30 ou mais sempre.
  • Roupas, bonés e óculos são barreiras protetoras para os raios solares e devem ser usados sem economia e em todas as idades.
Para não esquecer…
  • As crianças devem ficar expostas ao sol somente antes das 10h e após as 16h, isso porque nesses horários os raios solares mais prejudiciais são menos intensos e seu filho corre menos risco de sofrer uma queimadura solar.
  • Lembre-se que a saúde do seu filho está nas suas mãos! O sol é fonte de alegria se for bem dosado e se seu filho estiver protegido.
  • Filtro solar não é de uso exclusivo das crianças, dê o exemplo se protegendo contra queimaduras e expondo-se ao sol nos horários recomendados. Assim, você estará cuidando da saúde da sua família e ensinando seu filho valores eternos!
Fonte:
Raquel Reis Magalhães - Aluna do 8º Período do Curso de Medicina na Universidade Federal do Paraná.
Dra. Vânia Oliveira de Carvalho – Professora Adjunta de Pediatria – Serviço de Dermatologia Pediátrica da Universidade Federal do Paraná. Membro do Departamento de Dermatologia da SBP.
Ilustrações: Juliano Tortelli.